Buscar

Alarmes pela noite paulistana.

Atualizado: Abr 2




São Paulo se rivaliza com qualquer cidade do mundo em número de alarmes para carros.

E os alarmes se rivalizam em seus toques: três buzinadas curtas, 1 buzinada longa, 1 buzinada longa e 2 curtas, 3 curtas, apito que faz ué, ué, ué.

Outra característica é que os alarmes criam vida na madrugada. Quanto mais silenciosa a noite, no momento em que a cidade ressona mais profundamente, eles se esgoelam pelos bairros como se batessem panelas em protesto contra os ciclistas, pedestres e marronzinhos.

Curiosamente, em tese, o alarme serve, como o próprio nome diz, para alertar alguém que o veículo está sendo roubado, ou depredado ou grita por socorro porque sente alguma dor.

Mas esse alguém, conhecido como dono segundo o Certificado de Registro e Licenciamento, parece que é surdo.

Ele nunca atende de imediato ao apelo do seu patrimônio de 4 rodas.

Parece não acreditar que aquele alarme é o SEU alarme.

Só aparece para desligar a infernal engenhoca horas depois e ainda exibe um sorriso sádico de quem detesta a vizinhança.

Confesso que ao ouvir o som de um alarme torço para o ladrão.


25 visualizações1 comentário

©2020 by Os Impostores