Buscar

Carta aberta de um vibrador à Angélica.

Atualizado: Set 25

Escrevo essa carta em minha casa: a gaveta do seu criado mudo.

Estou confortável, é verdade.

Mas triste, muito triste.

Quando aqui cheguei era, como diria Ari Barroso, mais vivo e ligeiro que um saci.

Saia da gaveta com ânimo, vibrava com todas as minhas forças.

Fazia meu trabalho com prazer. E quanto maior o prazer dos usuários, ainda maior era o meu.

O tempo passou. Minhas baterias estão mais fracas.

O mundo mudou. Antigamente eu servia às mulheres, aos homens,

ou aos dois. Hoje, estou confuso com LGBTQQICAPF2K.

Mas amadureci e tenho consciência dos meus direitos.

Numa palavra: Estou cansado de ser tratado como um objeto sexual.




498 visualizações5 comentários

©2020 by Os Impostores