Buscar

Dom Pepe, noites cariocas e pauliceia desvairada.

Atualizado: Nov 16

Em 1976 Nelsinho Motta abriu a agitadíssima Frenetic Dancing Days Discotheque, em um Shopping da Gávea então absolutamente deserto.


Levou seu amigo de infância, Dom Pepe pra DJ. O resto é história: A Dancin’ virou novela, suas garçonetes viraram as Frenéticas, e os versos ‘Abra suas asas, solte suas feras, caia na gandaia, entre nesta festa’ eternizaram-se como um mantra da vida noturna.


Depois veio o African Bar, na Venâncio Flores, e as Noites Cariocas do Morro da Urca, com direito a bondinho e vista deslumbrante.


Em Sampa, Nelsinho, Dom Pepe e Júlio Barroso, bancados pelo Ricardo Amaral, criaram a Pauliceia Desvairada que teve vida curta. Acho que foi o primeiro lugar do gênero batizado no dialeto paulistanês de ‘danceteria’, ao invés de boate, discoteca ou night club.


Dom Pepe lembrava o seguinte – ‘Antes do Dancin, a noite era muito elitista. Só existiam aquelas boites em que não se entrava de tênis, que homem não podia ir sozinho, tinha que passar por vários crivos. Preto então, você não via mesmo. Enquanto a playboyzada da época ia pro Hippopotamus, o pessoal mais cabeça ia pro Dancin. Lá você entrava como quisesse, ninguém ia ficar te olhando, reparando. Não tinha essa história de área vip. Tudo era área vip ali. Era só pagar e passar, que nem ônibus.’


Morreu em 2014, mas sobreviveu mais que todos esses points.

47 visualizações1 comentário

©2020 by Os Impostores