Buscar

Meu condomínio acima de todos.

Atualizado: Ago 18

Fui eleito síndico do meu condomínio, há quase dois anos.

É um condomínio grande, com muita gente e com interesses bem diversos - alguns, bastante conflitantes.

Não é o melhor condomínio do mundo, embora, há muito tempo seja comum vê-lo em matérias jornalísticas, em conversas de populares e até nas análises dos síndicos de outros condomínios, tratado como ”o condomínio do futuro".

Mesmo assim, sei lá porquê, o condomínio patina e nunca sai do lugar.

Não sai não: não saía.

Agora, comigo, tudo mudou.

Tinha muito assalto dentro do condomínio, assassinato aos montes, gente estranha, muito morador analfabeto, sem educação.

Continua igual, mas agora a culpa é dos que vieram antes de mim.

Eu não tenho planos para resolver nada disso, mas o pessoal que me defende diz que eu estou fazendo e que quem não reconhece é porque torce contra o condomínio.

Os hospitais e as escolas que ficam dentro do condomínio sempre foram uma vergonha.

Mas síndico se trata em hospital fora do condomínio, então não há porque mexermos nisso agora.

De todo modo, a mensalidade paga pelos condôminos é uma das mais altas do mundo, mas não dá pra quase nada além de pagar um pessoal que anda de um lado para o outro sem fazer nada no condomínio.

Estou pensando agora em reeditar uma taxa extra mensal que todo mundo vai pagar cada vez que respirar o ar do condomínio.

Vai se chamar alguma coisa diferente de "taxa-extra", que é como chamavam essa taxa-extra que eu decidi que não deve ser confundida com uma taxa-extra.

A limpeza, a manutenção, água, luz, gás, tudo aqui é superfaturado.

Quando eu assumi, tinha um bocado de gente sendo presa.

Eu até prometi continuar essa operação que prendia ladrão de condomínio e acabar com essa pouca vergonha de uma vez por todas.

Mas é difícil.

Não dá para ser síndico sem ajudar um pessoal que não paga IPTU, faz puxadinho sem autorização da prefeitura, cobra um pedágio para o sorveteiro e o pipoqueiro venderem aqui dentro e levam um por fora das empreiteiras que nem aparecem para derrubar e reconstruir o playground ali da rua central.

Além disso, tem muita gente cuja ajuda não pode ser dispensada, sabe cumé.

Que cola no síndico prometendo apoio, dando a letra sobre as investigações contra os filhos, por coisinha à toa que eles faziam antes de eu ser síndico: tipo se valer da posição de diretor do clubinho, contratar umas pessoas que nunca apareciam lá e ainda ficar com o salário delas.

Todo mundo sempre fez isso.

Agora querem as minhas hemorroidas?

Hahahaha, nem sei de onde eu tirei isso, mas gostei e agora eu repito,

Tenho certeza de que a gente estava no caminho certo da recuperação econômica do condomínio - muito endividado por causa de síndicos corruptos que vieram antes de mim.

Os mais recentes ainda piores, porque são predialistas, ligados ao Foro Predialista de São Paulo.

E nós, que somos da residencialistas, odiamos mortalmente e queremos o extermínio de todos os predialistas do mundo.

Por isso também somos a favor do uso de armas dentro do condomínio.

Na minha opinião, o maior erro da ditadura residencialista foi não ter matado uns 30 mil predialistas, incluindo o Fernandão, síndico de uns 20 anos atrás, um engomadinho que ficou famoso aqui dentro só porque inventou o vale-condomínio.

Crápula.

Até hoje me enche o saco.

Para piorar um pouquinho a perseguição ao meu excelente mandato, há uns meses apareceu uma doença em todos os condomínios do mundo, tanto que decretaram que é uma pandominia, embora eu, pessoalmente, ache que isso é mais frescura do que doença mesmo.

Aqui entre nós, há uma grande chance dela ter sido criada, de propósito, por um condomínio predialista que quer dominar todos os condomínios do planeta.

Aliás, não sou só eu que acho.

Tem um síndico famoso, do maior condomínio de todos, residencialista do bem, como eu, que garante a mesma coisa.

Além disso, tem cura.

A cloroquina (mais o cloro do que a quina) que usamos no tratamento das nossas piscinas é batata.

Usou, curou.

Até a Dona Ema, do terreno aqui do lado, já sacou.

Voltando ao assunto: eu já tinha brigado com todos os jornais de bairro, com a tv do circuito interno e com um pessoal de computador; tanto que eu contratei - com o dinheiro do condomínio, que eu não sou besta de gastar o meu - um pessoal de computador pra mandar email pra todo mundo no condomínio.

Sem assinar meu nome, porque, já falei, eu não sou besta.

E esse é um resumo bem direto do meu mandato até aqui.

Tripudiei quando ficou entrando e saindo carro funerário aqui na guarita, pra recolher corpo de gordo, velho, fracote e doente terminal que já ia morrer mesmo.

Falei que não tinha o menor sentido os condôminos ficarem tudo entocado, o comércio do condomínio (até salão de beleza e academia de ginástica, vejam vocês) ficarem fechados.

Dei o exemplo: fui pra rua o máximo que eu pude.

Me juntei ao movimento da extrema-residência pedindo para fecharem a secretaria, a contabilidade e o conselho de moradores.

Andei de cavalo aqui dentro.

Dei banana pra todo mundo.

Mandei uma jornalista dar o furo dela pra quem ela quisesse.

Soltei um vídeo com uma reunião da minha diretoria mandando todo mundo ir tomar no cu, porque queriam tirar a porra dos seguranças do condomínio que cuidavam da piroca dos meus filhos e dos merdas dos meus amigos.

Troquei o chefe da segurança sem ninguém pedir - dizem que o desgraçado, esse predialista de uma figa, vai querer se candidatar a síndico daqui a dois anos.

Botei o tesoureiro pra tocar acordeão em homenagem ao pessoal do prédio dos empregados (que é onde tá morrendo mais gente).

Meus filhos se enroscaram em outras bobagenzinhas por aí.

O nosso amigo mais próximo apareceu preso porque encontraram dinheiro do clube onde ele trabalhou comigo e com o meus filhos, na conta dele (e da minha mulher - a atual, as outras que eu tive têm outros rolos que não vêm ao caso).

Batemos recorde atrás de recorde no número de casos de pessoas contaminadas por esse vírus predialista.

Morre gente no 512, no 413, no 722, no Bloco 1, 2, 3, 4, no setor de casas, no clube, no hospital interno, no teatrinho do condomínio (caguei, detesto artista: tudo predialista safado).

Troquei duas vezes o responsável pela enfermaria, sendo que há 3 meses fechei com um ex-segurança, que eu botei como interino.

E há 4 meses eu deixo um envelope na casa de um monte de condôminos.

Com 600 vales-condomínio. Precisa ver a alegria.

Virei o síndico mais popular dos últimos anos.

Se tivesse eleição agora, já estava reeleito.

São geniais os moradores do nosso condomínio.

(E condominions é a mãe – eu sei que você estava pensando isso).






488 visualizações14 comentários

©2020 by Os Impostores