Buscar

O ócio criativo

Weintraub está entediado.

Desde que resolveu todos os problemas da Educação brasileira, não tem mais o que fazer.

Passa os dias jogando porrinha com os colegas de Ministério.

Dizem que blefa bem: sempre coloca 3 palitos e pede zero.

Não entende como nunca ganha.

Vez por outra passeia pelo twitter xingando pessoas, maltratando cidadãos brasileiros, assassinando um ou outro vocábulo da língua portuguesa.

Tudo por falta do que fazer.

Quanto mais polêmica, mais ele toma o tempo que tem de sobra, respondendo quem o interpela, apagando postagens, mandando a imprensa tomar no cu - essas atribuições de ministro.

Enquanto recebe os louros pela fantástica reabilitação das nossas escolas, das universidades, por dar credibilidade ao ENEM, valorizar os nossos professores e levar a nossa Educação ao topo do ranking mundial - graças à nova agenda ideológica, à sua fé em Deus, ao linguajar suave e didático, ao desbaratamento das gangues de plantadores de maconha e à expulsão dos vagabundos que não faziam nada (tipo cientistas e músicos, principalmente) - o velho e bom Abraham lida com o ócio com a sabedoria de um Domenico de Masi: com muita criatividade.

Pena que nem todo mundo esteja com a vida ganha para perceber as nuances e os layers do humor e a perspicácia das declarações do gracioso político.

Piada explicada perde a graça, todo mundo sabe. E lá vai o coitado ter que estragar mais uma.

Primeiro, olha só que constrangimento, o pobre homem tem que avisar que chamar o povo chinês de Cebolinha e dizer que a China tem um plano desonesto para a dominação do mundo é "uma brincadeira leve".

Gente, vocês são muito chatos.

Já perdeu toda a graça só por vocês não serem capazes de entender ironia.

Poxa, o cara perde um baita tempo criando a historinha, aplicando na tirinha do Maurício de Souza, tendo que lembrar todos os fonemas que levam erres para transformá-los em eles, fazer um texto minimamente (e põe minimamente nisso) compreensível, poxa, pra depois ter que explicar para um bando de gente mal resolvida que se tratava só de um chistezinho inofensivo?

Aí fica difícil ser Ministro da Educação no Brasil.

Para piorar ainda vem essa imprensa inconveniente perguntar o que ele vai fazer com a exigência da embaixada chinesa para que haja um pedido formal de desculpas.

E por quê ele apagou o post.