Buscar

O cosmonauta e o lunático.

Atualizado: 19 de Mai de 2020

- Ôôôô, você. Wein, Wan... ei, você aí da Secretaria de Comunicação. Chama o ministro Marcos Pontes pra ele comparecer correndo aqui no gabinete.

- O astronauta?

- Quem mais seria, pô? Depois dizem que eu não faço escolha técnica: ministério da ciência + tecnologia = ASTRONAUTA! Aliás, correndo não. Manda ele vir a jato. Há, há, há.

- SENHOR! Marcos Cesar Pontes tenente-coronel da Força Aérea Brasileira apresentando-se, SENHOR! (bate continência sorrindo).

- Calmaí. Sentaí. Me conta uma coisa: até por dever de ofício o senhor entende de alinhamento planetário, né?

- Não, meu presidente. Astrologia é com o professor Olavo de Carvalho. Minha área é Astronomia.

- É tudo a mesma bosta, tenente. Eu só fiz uma ‘parabólica’ pra mostrar pro senhor que ministro meu tem que estar alinhado comigo, tá ok? Foda-se se é na via láctea ou no horóscopo. Tem que tá alinhado e ponto final. Tá rindo de que?

- Poxa, presidente. Eu sou risonho desde quando virei palestrante motivacional.


- Que porra de frescura é essa? Não vai me dizer que é o tal de ‘coachingue’.


- Mas, meu presidente, no governo eu tenho sido um eclipse. Mais discreto e opaco, só o Teich.

- Teich é passado. Agora, a gente tem um problema aí de produtividade, tá ok? Quando chamei o senhor, eu fiz até um desses negócio aí, um trocadilho: “Quando a situação ficar grave a gente metralha a gravidade.”